HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

   

DOENÇAS
Cães e gatos também sofrem com alergias 06/04/2016 às 11:53:44

Além da coceira intensa, o dono precisa estar atento a outros sintomas de alergia, como perda de apetite e diarreia (Foto: Bigstock)Além da coceira intensa, o dono precisa estar atento a outros sintomas de alergia, como perda de apetite e diarreia (Foto: Bigstock)

Se o cão ou o gato passar a coçar e lamber a pele mais do que o comum, atenção: pode não ser apenas uma pulga. Assim como nos humanos, os pets também estão sujeitos ao desenvolvimento de alergias e doenças ligadas ao sistema imunológico. O sintoma de maior destaque costuma ser coceira constante, tão intensa que pode levar o animal até amorder o local irritado. Estima-se que entre 25 e 30% dos animais sofram com alergias, responsáveis pela maior parte das consultas veterinárias em grandes cidades.

Causas

A veterinária Andressa Felisbino, da DrogaVET, alerta que as reações alérgicas, causadas por inúmeros agentes, devem ser observadas. Entre os vilões estão pólenfungos,picadas de insetosparasitas, substâncias químicas e até mesmo determinadosalimentos. “Dependendo do agente causador, os sintomas podem ir além de irritações na pele. Certas alergias podem causar ainda perda de apetite e diarreia“, coloca. É importante estar atento a áreas de vermelhidão ou queda do pelo do animal.

Um dos cuidados mais importantes é manter os produtos de limpeza longe dos pets, em especial desinfetantes e removedores. Substâncias como ácidos bóricos, peróxido de sódio, amônia e cloro, presentes na formulação de certos produtos, são responsáveis por causar inúmeras reações como dermatitesirritação ocularressecamento das narinas e, ainda mais grave, problemas pulmonares.

A veterinária também cita as alergias alimentares, que podem surgir em decorrência de uma dieta que vai além da ração seca. “Donos que costumam dar comida, em especial os alimentos de origem animal, aumentam as chances de uma alergia se manifestar no bichinho”, afirma. A solução, segundo ela, é preferir sempre rações específicas para cada tipo de animal, informando ao veterinário alterações importantes na dieta.

Diagnóstico

Entre os exames comumente solicitados estão o de sangue, que é capaz de identificar o agente causador, indicando assim o tratamento ideal e preciso para cada caso. Os hábitos do bichinho, como rotina alimentícia e imunoterapia também entram na investigação do veterinário.

Tratamento

As alergias não têm cura. Elas devem ser controladas com vacinas específicas que têm o objetivo de tornar o cão ou gato cada vez menos sensível ao agente causador. Para a maior parte dos animais, as vacinas deverão der administradas por toda a vida e a melhora do quadro pode ser observada em um intervalo que vai de semanas a algunsmeses. O tratamento também se estende às infecções de pele, uma condição frequente entre os alérgicos, já que o ato de coçar ou morder abre fissuras por onde entrambactérias causadoras de lesões, algumas bastante graves.

 

 

 

Fonte: (Gazeta do Povo)

 






ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Preso por abandonar cinco filhotes de cão deixa cadeia após pagar multa de R$ 6 mil
11/01/2018 às 20:04:07

As raças de cães americanos mais populares
26/12/2017 às 22:32:30

O comportamento de uma manada de lobos
26/12/2017 às 22:30:07

Raças de cães de pastoreio
26/12/2017 às 22:27:12


© Canil Garra 2018. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco