HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

    cachorro_mexendo_rabo_1

DOENÇAS
Mosquito Aedes aegypti pode transmitir doença letal para animais de estimação 16/02/2016 às 23:47:07

A dirofilariose é transmitida pelo mosquito da dengue e causa insuficiência cardíaca em cães e gatos, podendo causar também a morte do animal

O mosquito Aedes aegypti está se tornando um problema cada vez maior para a saúde humana aqui no Brasil. Responsável por transmitir a dengue, o zika vírus e a chikungunya, o mosquito tem uma proliferação e desenvolvimento rápidos, o que dificulta ainda mais o seu combate.

Agora, a preocupação passa a ser ainda maior para quem tem bichinhos de estimação em casa, já que o mosquito também é uma ameaça para eles. Foi descoberto que, além de transmitir doenças graves em humanos, o Aedes aegypti pode infectar também cães e gatos e levá-los até a morte.

Mosquito Aedes aegypti pode transmitir a dirofilariose para cães e gatos. (Foto: Reprodução / Vet Care)

Mosquito Aedes aegypti pode transmitir a dirofilariose para cães e gatos. (Foto: Reprodução / Vet Care)

No caso dos animais, a doença transmitida pelo Aedes aegypti é a dirofilariose. A doença causa, entre outras consequências, o aumento do tamanho do coração, aumento de pressão, hipertensão pulmonar e insuficiência cardíaca nos animais, podendo causar ainda a morte do pet.

Ao picar o animal, o mosquito infectado libera larvas que crescem na corrente sanguínea e se alojam no coração do animal picado.

É de extrema importância que a doença seja detectada o mais rápido possível para que o animal possa fazer o tratamento correto e se livrar da doença. Segundo médicos veterinários, o diagnóstico da dirofilariose pode ser difícil, por esse motivo é ainda mais indispensável que se preste bastante atenção aos sinais.

Ciclo da doença. (Foto: Reprodução / Blog Xanadu)

Ciclo da doença. (Foto: Reprodução / Blog Xanadu)

Entre os principais sintomas da dirofilariose, doença popularmente conhecida como “verme do coração”, estão falta de ar, cansaço, tosse e inchaço da barriga e das patas.

Animais que vivem nas ruas estão mais suscetíveis a pegarem a doença por viverem mais próximos a focos do mosquito, porém animais de estimação que vivem tanto em casa quanto apartamentos também podem se tornar alvos.

Para prevenir a doença já existem opções como tabletes mastigáveis e coleiras repelentes, que prometem manter os mosquitos e pernilongos longes do animal. Porém, a melhor forma é realmente evitar deixar água parada em qualquer lugar que seja.

Larvas na corrente sanguínea de animal infectado. (Foto: Reprodução / CachorrosBlogs)

Larvas na corrente sanguínea de animal infectado. (Foto: Reprodução / CachorrosBlogs)

É bom lembrar também que, o potinho de água dos nossos bichinhos pode ser usado pelos mosquitos para colocarem suas larvas. Para evitar isso é necessário fazer uma higienização com esponja e sabão nos potes pelo menos uma vez ao dia.

 

 

 

Por: Andrezza Oestreicher

Fonte: (Portal do Dog)





ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Sandra Bullock doa 100 mil dólares para ajudar animais vítimas de incêndio
15/11/2018 às 20:15:23

Conheça os alimentos mais venenosos para seu cão
06/11/2018 às 23:11:07

Um cão de rua entra em uma delegacia e se torna policial
06/11/2018 às 23:08:19

Quantas refeições o seu cão deve fazer?
06/11/2018 às 23:05:53


© Canil Garra 2018. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco