HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

   

PARASITAS
Sarna Otodécica 28/03/2014 às 13:25:48

Os cuidados com os pets devem ser constantes para manter não apenas a beleza dos cães e gatos como a saúde dos mesmos. Você pode não ter ideia de números e riscos, mas mais de cinquenta doenças podem se manter nos animais domésticos e causar problemas diversos tanto para os pets como para os donos.

Dentre as doenças que podem acometer os cães e gatos, temos a sarna otodécica. Para quem ainda não conhece esta doença que não é rara, entenda mais sobre ela em nosso artigo a seguir e os cuidados necessários para evitá-la em seus animais domésticos.

O Que É Sarna Otodécica?

O nome sarna é bem conhecido entre os criadores de pet porque volta e meia ela ataca. É uma coceira intermitente que incomoda, cria feridas e em casos mais graves, deixa os animais sangrando e com cor. Pode passar dias e meses se prolongando sem que seja diagnosticada verdadeiramente e causando agonia ao animal.

Tire Suas Dúvidas

Tire Suas Dúvidas

A sarna otodécica é um dos tipos de sarna que pode surgir em cães e gatos. Este tipo de sarna é conhecida como sarna de ouvido e ocorre mais comumente entre os gatos, mas pode acontecer em cachorros também. É causada por um pequeno bicho que se aloja no conduto auditivo do animal de quatro patas, o ácaro Otodectes cynotis. Esse tipo de ácaro (que pode parecer muito com o carrapato em uma versão menor) vive no conduto auditivo de vários animais conhecidos ou desconhecidos da criação de pets.

Como Se Pega a Sarna Otodécica?

Esta doença se pega tal qual a transmissão do carrapato se dá e das pulgas também: contato direto entre animais infectados. Um animal que já tenha a sarna vai passar para outro por meio dos pelos ou sua derme e não precisa de muito: basta que fiquem juntos no mesmo ambiente. O ácaro vai se agarrar aos pelos do outro animail e vai andar por entre a pelugem até encontrar seu local preferido: o interior do ouvido.

No geral, os animais de rua é que transmitem este bicho porque pegam mais rápido a doença pela falta de asseio. Não dá para contrair este tipo de sarna em postes ou andando na rua em locais que outros animais já estiveram, pois o ácaro não vive tanto tempo fora de um ouvido de um animal de quatro patas. Ele também não vive em objetos como panos de dormir e travesseiros ou sofás e é totalmente inofensivo ao homem.

 

O Que Faz O Ácaro da Sarna Otodécica No Animal?

Este ácaro que causa a sarna otodécica vive bem em ambientes que sejam úmidos e escuros. Assim eles se reproduzem melhor e como vivem em grande quantidade, acabam se proliferando bem rápido e passando para os outros animais que estão dentro da mesma casa.

Os ácaros que transmitem esta doença se alimentam de restos da derme morta e viva. Isso é que causa a coceira, pois eles se prendem entre os pelos e acabam causando incômodo e, dependendo da quantidade de ácaros, podem causar inflamações sérias.

 

Como Saber Se Seu Animal Tem Sarna Otodécica

O diagnóstico desta doença no animal é possível observando o comportamento do mesmo. Infelizmente, o cachorro ou gato não consegue resistir a tamanho incômodo dos ácaros em seu ouvido (que é diferente da orelha, a parte externa) e começam a coçar bastante. Podem balançar a cabeça muitas vezes ao dia em sinal de incômodo, sentirem-se incomodados de dia ou de noite e quanto mais pelo para cobrir a orelha, mais eles vão coçar por mero instinto para se livrar do que incomoda acreditando estar preso na pelugem.

Saiba Mais

Saiba Mais

Alguns animais menores que possuem dificuldade em coçar a orelha vão chorar, mostrar comportamento agressivo informando que há um problema real na sua orelha, uma forma de mostrar aos donos o que eles não conseguem ver.

Ao sentir que o animal coça bastante a orelha, o ideal é levar a um veterinário o mais rápido possível. O profissional possui o equipamento necessário para olhar a orelha internamente e identificar se há ácaros morando ali.

Pode ser que o veterinário não consiga ver o ácaro. Para este caso, ele terá que analisar a cera encontrada no ouvido do animal e retira-la, pois pode ser que o ácaro esteja por trás dela ou entre ela. Ele vai retirar a cera e observar o que há em seu conteúdo para daí em diante, dar um diagnóstico mais completo e preciso para o dono do paciente.

Tratamento Para a Sarna Otodécica

Felizmente, o tratamento para este problema é simples. O animal terá uma limpeza de ouvido profunda para retirar todo o cerúmen. Em seguida, deve ser feita a aplicação de remédios contra os parasitas. O pet deverá também ingerir antibiótico e antifúngico para aqueles animais que apresentarem infecção em seu exame de sangue e para prevenir que outros parasitas se alojem na pele do bicho.

Durante o tratamento, o animal deve se manter isolado em casa. Esta é uma medida preventiva para que outros pets da casa não contraiam a doença, bem como para que ele não a contraia novamente durante o tratamento. Principalmente quando o cerúmen for retirado, pois o tubo do ouvido vai ficar desprotegido e mais ácaros podem se alojar de forma mais fácil.

Os medicamentos podem ser aplicados em casa para tratamento, mas a limpeza auricular deve ser feita em consultório veterinário. Caso não seja feita de forma adequada, o animal pode ter seu cerúmen pressional para o interior do ouvido e apresentar surdez parcial ou total temporária, e ainda inflamações pelo excesso de cera no ouvido, o que não é incomum mas pode trazer outras infecções e doenças, causando uma surdez permanente.

 

Gatos Contraem Esta Sarna Mais Fácil

Apesar dos cachorros também fazerem parte do grupo de risco, são os gatos que estão mais suscetíveis a contrair esta doença. Eles não só contraem mais facilmente esta doença como podem transmitir de forma mais simples. Os veterinários são divergentes quanto ao fato dos gatos transmitirem mais rápido. Pode ser por conta da pelugem mais rala, por andarem mais em grupo ou por serem fracos mesmo em relação a seu sistema imunológico.

Os cachorros costumam apresentar contágio em menor quantidade e para ambos os casos, o remédio é o mesmo. O que muda é apenas a dosagem por conta do porte do animal.

 

 

Fonte: (http://saude.culturamix.com/)

 






ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Sandra Bullock doa 100 mil dólares para ajudar animais vítimas de incêndio
15/11/2018 às 20:15:23

Conheça os alimentos mais venenosos para seu cão
06/11/2018 às 23:11:07

Um cão de rua entra em uma delegacia e se torna policial
06/11/2018 às 23:08:19

Quantas refeições o seu cão deve fazer?
06/11/2018 às 23:05:53


© Canil Garra 2018. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco