HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

    Rede Aleluia

ODONTOLOGIA CANINA
Fístulas Dentárias 28/03/2014 às 13:48:35

 A saúde bucal está intimamente relacionada com a saúde geral. Assim, um animal que não tem uma boa saúde bucal terá a sua saúde geral comprometida, o que significa menos anos de vida.

     Além do acúmulo de tártaro (muito comum nos animais), existem outros problemas odontológicos que afetam os animais, dentre eles, as fístulas dentárias.

    A Fístula Dentária ou Infra-Orbitária é causada por periodontites severas devido ao acúmulo de tártaros levando a uma inflamação nas estruturas que sustentam o dente. Podem ser causadas também por fraturas ou corpos estranhos. Normalmente acometem os dentes molares tanto superiores quanto os inferiores.

     Desenvolvendo o abscesso em uma das três raízes do 4º pré-molar, as outras duas raízes mantêm o dente parcialmente fixo no alvéolo, dificultando a drenagem de secreções para dentro da boca. A sucessão de eventos pode ser resumida como segue: necrose de polpa, formação de úlcera, e abscesso apical (ponta da raiz) agudo.

     O tempo requerido para esta progressão varia de meses a anos. Um animal que apresente uma alteração inflamatória pulpar e, posteriormente, periapical (ao redor da ponta da raiz do dente), poderá apresentar sinais clínicos como, dor, fístula intra ou extra-bucal, fratura, escurecimento dental, sialorréia (salivação), dificuldade de apreensão de alimentos e fricção do focinho sobre o chão

     A Fístula normalmente é observada pelo proprietário através de uma dilatação flutuante ou um pequeno abscesso no lado da face logo abaixo do olho, região esta chamada de infra-orbitária. E é justamente o tártaro o responsável pelos problemas mais sérios. O acúmulo de bactérias pode causar retração da gengiva e exposição da raiz do dente, provocando sensibilidade, abcessos, e periodontites

     Além do exame clínico do médico veterinário, as fístulas são diagnosticadas através de exames radiográficos, onde a área radiotransparente ao redor da raiz indicará o abscesso do periodonto (estruturas que sustentam o dente).

     A drenagem deste abscesso deixa uma lesão na pele de aproximadamente 2-3mm de diâmetro. Esta abertura (fístula), secreta continuamente quantidades pequenas de sangue e pus.

     A fístula dentária severa deixa uma linha de comunicação anormal entre as cavidades oral e nasal podendo ser observado em alguns casos uma secreção nasal frequente.

     O tratamento muitas das vezes consiste na extração do dente acometido, porém alguns fatores como a mobilidade do dente devem ser considerados antes da extração.

    Um pré molar ou molar afetado que não apresenta mobilidade, e sendo completamente funcional deve ser preservado, especialmente em cães jovens. Dessa forma o médico veterinário deve buscar um tratamento conservador para este dente. Quando a terapia endodôntica não pode ser realizada, o dente afetado deve ser extraído, sendo que o abscesso e a fístula associada resolvem-se em algumas semanas. Em gatos a fístula é mais comum de ocorrer no dente canino

     As visitas regulares ao Médico Veterinário e um programa de cuidados bucais em casa, são de extrema importância para a saúde dos animais.

Lembre-se: A saúde de seu pet começa pela boca! 
 
 
Fonte: (http://www.marcovet.com.br/)





ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Quatro raças de raposa que você deve conhecer
15/06/2018 às 22:14:23

A raposa é perigosa: verdade ou mito?
15/06/2018 às 22:12:22

CCZ de São Paulo cria site para divulgar animais que estão há tempos em fila de adoção
15/06/2018 às 22:10:35

Você conhece a peritonite? Saiba como a doença afeta os gatos
14/06/2018 às 21:15:34


© Canil Garra 2018. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco