HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

   

Notícias
Leptospirose em gatos: sintomas e tratamento 29/10/2019 às 19:27:41

A leptospirose em gatos é uma zoonose de origem bacteriana. Atualmente, é considerada uma doença infecciosa emergente em humanos e cães.

No entanto, existem muitos animais selvagens e domésticos – como os gatos, por exemplo – que, ao serem infestados, podem não apresentar os sintomas da doença. Nesses casos, fala-se de uma infecção subclínica.

Essas espécies portadoras da doença servem como reservatórios das bactérias e são uma fonte potencial de infecção para hospedeiros incidentais e para os seres humanos.

O que precisamos saber sobre o agente causador: a leptospira

As zoonoses são as doenças que podem ser transmitidas entre diferentes espécies de mamíferos. Assim, elas são doenças que podem ser transmitidas entre humanos e outros tipos de animais.

Até o momento, um total de 22 espécies de Leptospira foi identificado. Destas, 13 podem causar a doença em humanos.

As espécies de leptospira também são classificadas de acordo com a sua reação de aglutinação aos soros que possuem anticorpos que reconhecem a bactéria. Essa classificação é chamada de sorotipo. Até o momento, foram reconhecidos cerca de 300 sorotipos patogênicos de Leptospira.

Esta bactéria tem um formato muito característico: ela tem a aparência de espirais finas. Geralmente, uma ou ambas as extremidades do organismo são curvadas, em forma de gancho.

Esta bactéria entra no corpo por meio do contato. Ela penetra na pele e nas membranas mucosas graças à produção de uma enzima que altera a permeabilidade do tecido conjuntivo. Mais especificamente, ela digere o conteúdo de ácido hialurônico para facilitar a invasão.

Leptospirose em gatos: como a bactéria se espalha?

A bactéria é eliminada na urina dos animais infectados. A urina infectada pode contaminar as águas superficiais, tais como pântanos, córregos e rios. Nesse ambiente, as bactérias podem sobreviver durante períodos prolongados, até mesmo por vários meses.

Assim, a doença costuma ser transmitida através da água.

Os gatos podem ser infectados de forma direta ou indireta. No caso da forma indireta, eles podem ser infectados ao comer um animal selvagem que tenha bebido a água infectada.

Quando ocorre de forma direta, a leptospirose em gatos é adquirida através do contato com a urina infectada de outros animais contaminados que convivem com o felino. Eles também podem ser infectados ao beber a água contaminada contendo a espiroqueta de Leptospira.

Uma vez que tenham atravessado as membranas mucosas ou a pele, as leptospiras se multiplicam rapidamente no sangue. As bactérias podem invadir muitos órgãos, principalmente os rins, nos quais as leptospiras podem permanecer e se espalhar através da urina durante meses ou até mesmo anos.

Sinais e sintomas da leptospirose em gatos

Ao analisar gatos infectados, verificou-se que a bactéria estava presente na urina e no sangue. Estes estudos determinaram que a leptospirose em gatos provoca apenas sinais clínicos leves.

Embora os sinais clínicos em gatos raramente apareçam, a leptospirose em gatos causa inflamação renal e hepática. Estudos recentes mostraram uma possível associação entre a doença renal crônica felina e a infecção por Leptospira spp.

Controle da doença

Assim como nos cães, o tratamento dos gatos doentes dependerá da gravidade dos sintomas clínicos. Geralmente, o tratamento da leptospirose em gatos consiste em antibióticos e terapia de suporte.

No caso dos gatos aparentemente saudáveis que disseminam leptospiras através da urina, um tratamento com doxiciclina deve ser iniciado – 5 mg/kg a cada 12 horas, durante três semanas – para eliminar o seu status de portador.

Prevenção

  • Infelizmente, não existe vacina disponível para prevenir a leptospirose em gatos.
  • A única maneira de evitar que os gatos sejam infectados é impedi-los de se alimentar de roedores potencialmente contaminados. Também é necessário evitar que eles entrem em contato com a água parada.
  • Gatos mantidos dentro de casa têm um risco muito baixo de infecção.

Consulte o seu veterinário para descartar a leptospirose em gatos. Lembre-se de que, mesmo que o seu gato não apresente sintomas da doença, ele pode ser uma fonte de infecção para seres humanos e cães ao seu redor.

Não conseguimos imaginar a vida sem os nossos gatinhos. No entanto, o fato de que os gatos podem atuar como um reservatório de Leptospira no ambiente doméstico se tornou algo importante atualmente. Por esse motivo, é altamente recomendável descartar a leptospirose em gatos.

Exames especializados estão disponíveis para identificar as bactérias no sangue, na urina ou nos tecidos. Além disso, também é possível fazer exames para detectar a presença de anticorpos contra a bactéria no sangue do gato.

 

 

 

 

 

 

Fontye: (Meus Animais)






ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Malhação de Ana Hickmann e os seus 19 pets
14/11/2019 às 22:44:50

Cachorro fugiu: O que fazer?
14/11/2019 às 22:42:29

Relação entre bebê e cão: confira dicas para uma integração ideal
14/11/2019 às 22:40:40

Socialização do cão – Como fazer?
05/11/2019 às 22:43:35


© Canil Garra 2019. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco