HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

   

Notícias
Cachorro ansioso – Sintomas, dicas e tratamento 21/12/2019 às 20:17:09

Um cachorro ansioso pode significar muitos problemas para ele e para o tutor. Esta é, talvez, uma das condições mais negativas para uma vida e um comportamento saudável do animal. No entanto, nem sempre é fácil diagnosticar a ansiedade no cão. Afinal, os sintomas podem ser muito semelhantes a diversas outras doenças.

Quando o cachorro ansioso de fato começa a dar alguns sinais, já pode ser tarde demais para uma prevenção. Neste caso, será preciso remediar. Mas não remediar ao pé da letra. Mas sim, remediar com um treinamento, um condicionamento e atitudes por sua parte que deixem o cão mais confortável.

Já adiantamos que não é tão simples quanto parece. Um cachorro ansioso precisa de ajuda e, acima de tudo, de equilíbrio. No entanto, ele não sabe disso. E você precisará agir. Por isso, no texto de hoje você vai entender tudo sobre o assunto para tentar proporcionar uma vida menos pesada ao animal.

Cachorro ansioso – Como identificar o problema?

Para identificar um cachorro ansioso será preciso muito trabalho. E você entenderá o porque mais para frente. Primeiramente, é fundamental que você entenda que nada será da noite para o dia. Ou seja, estimular o animal para alguma atividade, função ou comportamento levará tempo. E você precisa respeitar o tempo de cada animal.

Como você sabe, cada raça é única. Não há como estabelecer padrões de atividades pois um Pinscher Miniatura pode ter necessidades muito deferentes de um Labrador Retriever, por exemplo. E isto precisa ser considerado. Afinal, tratar a ansiedade é um assunto sério.

Um cachorro pode desenvolver muitas doenças ainda mais graves que partem de uma ansiedade. E isto pode ser considerado normal, visto que nenhuma doença surge “do nada”. Tudo tem um caminho. E, no caso da ansiedade, diversas coisas que o cão faz ou deixa de fazer afetam diretamente o organismo dele.

Quer um exemplo? Falta de vontade de comer é um sintoma clássico da ansiedade. Imagine um cão que precisa se alimentar para manter os nutrientes e não consegue fazer isso. Agora, imagine este mesmo cão em um período de um, dois ou três meses. Dificilmente a saúde dele se manterá em dia e, por conta da ansiedade (mesmo que de forma indireta), ele poderá adoecer.

E você não quer isso, não é mesmo? Por isso, acompanhe sete dos sintomas mais clássicos de um cachorro ansioso e busque tratamento o quanto antes.

cachorro ansioso

1- Você irá notar uma submissão exagerada no seu cão

xixi por submissão ou medo é só uma das evidências de que seu cão está se sentindo exageradamente submisso. Isto é muito ruim, pois o animal poderá ter atitudes negativas para a própria saúde. É claro que dominar o animal, fazer com que ele respeite o tutor e seja obediente dentro de casa é importante.

Mas a submissão em excesso é ruim, assim como qualquer coisa em excesso é ruim na vida dos cães. Por isso, se você notar que o cachorro deita quando você chega perto, rola e fica com a barriga pra cima e se urina todo, algo pode estar errado. Estas são atitudes claras de submissão e, se isto não estiver no controle, pode ser ruim.

Afinal, quando o cão faz xixi no lugar errado quando alguém interage com ele, é sinal de que ele não está confortável com aquilo. Este autocontrole é fundamental para uma vida com qualidade, conforto e aconchego. A ansiedade, neste caso, pode estar presente e você precisa tratá-la.

2- As orelhas para trás pode ser um sinal claro

Um cachorro com medo geralmente apresenta este comportamento: orelhas para trás em sinal de algum tipo de desconforto. No entanto, um cachorro ansioso pode ter estes mesmos movimentos. Por isso, recomendamos que você faça algumas análises e observações no comportamento do animal.

Busque entender em quais momentos ele coloca as orelhas para trás, com qual frequência e por quanto tempo. Um cachorro ansioso geralmente ficará com os músculos tensos durante boa parte do dia. E as orelhas podem ficar na posição “de medo” por muitas horas, mesmo que ele não perceba.

Por isso, é fundamental que você esteja perto e não deixe o animal solitário. Você precisa interpretar o que ele está querendo dizer, mesmo que você passe boa parte do dia fora de casa. Sempre que o cachorro estiver apresentando algum sinal de que algo está errado, é preciso “investigar” para encontrar a solução e devolver a qualidade de vida dele.

3- Olhar fixo em determinado lugar

Outro sintoma muito comum em cães ansiosos, é a questão do olhar. Quando há sofrimentos relacionados a ansiedade, o cachorro poderá fixar o olhar em algum determinado local, objeto ou pessoa. Este é um comportamento clássico de um animal que está pronto para atacar, com uma agressividade canina levada ao extremo.

Neste caso, você geralmente verá as partes brancas dos olhos bem acentuadas. Ou seja, o cachorro está extremamente focado em alguma coisa que talvez não apresente risco ou ameaça nenhuma. Preste atenção nisso durante o dia e tente identificar em que exatamente o cachorro foca a atenção desta forma.

4- Apetite desequilibrado – Falta ou excesso

O apetite é uma das medições mais clássicas para qualquer doença, problema ou condição do seu cachorro. E o que você precisa ter em mente, é o seguinte: qualquer excesso é perigoso. Seja o excesso de apetite onde o animal acaba comendo demais, seja o excesso da falta do apetite, onde o animal fica por dias sem comer.

O desequilíbrio deste aspecto é um dos fatores que mais levam os cães para condições extremas. Afinal, sabemos que o excesso de alimentação pode criar animais relativamente obesos e fora de forma. E com isso, muitos problemas também surgem. E a falta de alimentos, sabemos que pode levar um cão a ser desnutrido e doente.

Ou seja, não importa se você fornece uma alimentação natural para seu cão, uma ração premium ou mesmo uma comida mais simples. O importante é você notar a vontade dele ao comer. Este comportamento diz muito sobre o seu pet.

5- A distração pode ser um sinal

Você já notou seu cão distraído? No mundo da lua? Pois bem, atente-se caso note este comportamento. Um cachorro ansioso pode demonstrar sinais altos de distração, uma vez que o corpo dele pode estar extremamente tensionado. Veja como o animal caminha pela casa, veja se ele esbarra nos móveis e note o comportamento dele quando está calmo.

Se ele não der muita bola pra você em situações que antes ele daria, é importante se preocupar. Outro teste que você pode fazer, é com relação a ração. Geralmente um cão sente que você vai alimentá-lo. Ou ainda, ouve o barulho do pacote da ração de longe e vem correndo. Se isto não ocorrer, pode ser que o cão não esteja cem por cento em diversos aspectos.

6- Um cachorro ansioso pode estar integralmente entediado

Sim, um cachorro entediado pode se tornar igualmente ansioso. O tédio é uma problema grave na vida desses animais. E isto por um simples motivo: eles precisam gastar energia com alguma coisa! Os estoques de energia no corpo de um cão podem ser extremamente altos. Afinal, instintivamente ele precisa sobreviver, pois esta é a condição que o trouxe até aqui, da forma como conhecemos hoje.

Por isso, nunca deixe o seu cachorro atingir níveis grandes de tédio. Principalmente se ele mora em um apartamento ou uma casa fechada, que não tenha muito espaço aberto para correr e brincar. Evite também manter os mesmos brinquedos durante muito tempo com o cão, pois ele enjoará. E, além disso, é fundamental que você esteja presente. Ele sente sua falta e não pode viver sozinho por muito tempo.

7- Medos em excesso

Um cachorro com medo é sinal de preocupação. Esta é uma condição que acomete diversos animais, por diversos motivos e diversas situações. Ou seja: não é fácil entender quando e porque o animal está agindo de determinada maneira. No entanto, também existem as situações claras, como o medo de barulhos ou medo de fogos de artifício. Neste caso, o medo é comum.

Mas, existem aqueles medos excessivos, que fazem do cão um animal muito tímido e submisso. Muitas vezes, estes são sinais de reflexo e defesa. Mas em excesso, pode custar a saúde mental do cachorro. E você sabe: este é um ponto crítico que pode levar meses para ser recuperado.

Portanto, um cachorro ansioso pode facilmente demonstrar insatisfação com diversas atitudes, ações ou momentos do dia a dia. Observe se ele vai se esconder em baixo da cama, em baixo de almofadas ou atrás de cortinas em momentos “aleatórios”, sem a presença iminente de perigos. Se você perceber isso, é preciso agir para fazê-lo se sentir seguro.

Mas, como melhorar todos estes sintomas? Vamos falar mais adiante no texto. Continue lendo!

O que gera a ansiedade e torna um cachorro ansioso?

Agora que já entendemos os principais sintomas de um cachorro ansioso, precisamos entender também o que gera estas situações tão ruins para o animal, não é mesmo? Esta é uma das melhores alternativas para que você possa, com o tempo, entender o que fazer para corrigir o problema.

Afinal, é impossível resolver alguma coisa se não sabemos o que está causando aquilo para poder “estancar”, não é mesmo? E no caso da ansiedade é ainda pior. Afinal, esta não é uma doença “física” e muito menos “exata”. Muitos fatores podem contribuir para que ela aconteça. E nem sempre estes fatores estão ao nosso alcance e visão. Afinal, este é um problema silencioso.

Assim sendo, separamos uma lista para que você entenda um pouco mais o que pode estar causando este mal-estar em seu cão.

1- Gasto energético defasado

gasto energético precisa acontecer e disso você já sabe. Esta é, talvez, uma das preocupações e motivações mais iminentes par que um cachorro fique ansioso. E para entender isso, basta entendermos o “passado” dos cães. Eles eram animais que precisavam se virar e sobreviver, até serem domesticados.

Logo, o instinto deles pede que haja um armazenamento de energia em caso de perigos. E isto vai acontecer de qualquer forma. Por isso, é de suma importância que você, tutor, tenha em mente que precisará fazer o seu cachorro gastar energia de uma forma contínua. Além de beneficiar a saúde “física”, por assim dizer, o gasto energético ajuda muito na construção da autoestima, melhoria do sono e conforto do cachorro.

2- Falta de passeios e brincadeiras providas pelo tutor

Você precisa brincar com seu cachorro e passear com ele frequentemente. Caso isso não aconteça, saiba que estará contribuindo para a ansiedade do animal. Sim, os cães precisam de nós, tutores, para sentirem-se bem. Por mais que haja formas e treinamentos para criar um cão independente (e isto é muito importante), eles sempre precisarão da interação para sentirem-se parte de algo.

Por isso, é fundamental que você brinque e passeie. Quando o cão sente falta disso, ele começa a acumular energias que deveriam sair. E, com o tempo, isto se transforma em ansiedade, agressividade, desrespeito.

3- Baixa socialização com outros animais e pessoas

socialização do cão é outro ponto fundamental para que ele viva bem, tranquilo e feliz. Este talvez seja um dos processos mais difíceis, pois nem todos os cães são receptivos a novos amigos ou novas pessoas. Neste caso, você precisará contar com a ajuda de um profissional para que o cão possa condicionar a situação.

Um cachorro não vive sozinho. Ele precisa sentir-se parte de algo maior, conforme mencionamos anteriormente. E estas sensações fazem com que ele possa criar expectativas e supri-las, gerando um gasto energético importante para que sintomas da ansiedade não surjam.

4- Excesso de solidão

Um cachorro ansioso também é sinônimo de um cachorro solitário. E isto não pode acontecer. Por mais que muitas vezes seja difícil de manter uma rotina com uma presença constante na vida do animal, é preciso encontrar uma via para isso. O primeiro passo é tentar não passar tanto tempo fora de casa ou longe do cão. Ele sente sua falta!

E talvez você possa estar pensando: “eu trabalho o dia inteiro!”. E é verdade. Todos precisam trabalhar e não é possível estar em dois lugares ao mesmo tempo. Por isso, algumas alternativas já surgiram para ajudar tutores a entregar uma vida melhor para seus cães. Quer um exemplo? Dog walker. Escolha um profissional para cuidar e passear com seu animal durante o dia para que ele gaste energia e sinta-se mais feliz.

5- Falta de treinamento para equilibrar o comportamento

A falta de treinamento é um dos pontos mais comuns de qualquer cachorro ansioso. Afinal, treinar o animal é tão importante quanto alimentá-lo corretamente, dar carinho amor e conforto. Um treinamento poderá condicioná-lo a entender que determinadas situações são normais.

Além disso, o cachorro aprenderá a ter um autocontrole. Por exemplo, se o animal não treinado sabe que você vai sair para trabalhar, ele poderá desenvolver angústias, achando que ele foi abandonado. Por isso, o adestramento canino é muito importante para que o cachorro compreenda, entenda e possa viver bem sozinho por algum tempo.

6- Excesso de barulhos dentro de casa ou no ambiente que o cão vive

Talvez os barulhos em excesso sejam um dos maiores inimigos ocultos de um cachorro ansioso. Quando o animal sente que algo está acontecendo e ele não sabe o que é, a tendência é que ele fique com medo, desesperado e, claro, ansioso. Quer um exemplo prático? Fogos de artifício. Todos sabemos que os animais odeiam estes ruídos.

E o mesmo vale para várias outras situações. Por isso, se você morar em algum local com muitos ruídos (construção, carros, empresas), saiba que com o tempo o cão pode desenvolver algum tipo de ansiedade. Por isso, atente-se para estar sempre presente na vida dele, prevenindo de formas alternativas um problema maior.

A Síndrome da Ansiedade da Separação – O que é?

Existe um ponto muito importante na ligação entre o que é um cachorro ansioso, os sintomas e as motivações. E este ponto que merece destaque, é a síndrome da ansiedade da separação. Talvez, esta seja uma das condições mais comuns entre animais que desenvolvem uma saúde mental comprometida.

Basicamente, a síndrome da ansiedade da separação acontece quando o cachorro sente-se abandonado pelo tutor. E esta sensação pode acontecer por vias extremamente corriqueiras, como o exemplo dado anteriormente, com as saídas para o trabalho.

Ou seja, sair para trabalhar pode significar o “inferno na terra” para o cão, pois ele pode passar o dia inteiro a sua espera. E, entre esta espera, ele ficará sem comer, sem beber, sem ir ao banheiro (ou irá no lugar errado), passará boa parte do tempo latindo e ansioso. Muito ruim, não é mesmo?

Vamos entender um pouco mais sobre os comportamentos desta síndrome. Veja abaixo.

Sintomas da Síndrome da Ansiedade da Separação

Alguns dos sintomas mais clássicos da síndrome, já mencionamos acima. Mas, ainda existem outras condições que são atribuídas a um animal que passa por esse sofrimento. Por exemplo, comportamentos depressivos, agressividade, vontade de cavar e morder ou latidos em excesso. Tudo isso está diretamente relacionado a um cachorro ansioso. E vamos entender um pouco mais sobre cada um abaixo.

1- Comportamentos depressivos

Um cachorro depressivo é uma das situações mais complicadas de lidar, relacionadas ao convívio entre tutor e animal. Pois nós nunca sabemos quando o cão, de fato, está triste. É claro que muitas coisas podem ser evidenciadas com um comportamento específico. Por exemplo, olhos avermelhados ou “caídos”.

O cão fala. E você precisa saber ouvi-lo. No caso de comportamentos depressivos, ele perderá a vontade de tudo. De comer, de beber, de latir, de sair, de brincar, de ficar acordado. Quando você notar que esta rotina faz parte do seu cãozinho, preocupe-se e busque um profissional para te ajudar a reverter a situação o quanto antes.

2- Agressividade

Outro aspecto relacionado a síndrome da ansiedade da separação, está na agressividade. Quando o cachorro sente-se sozinho demais, ele geralmente entenderá que aquilo foi proposital. Poderá ficar triste, como mencionado anteriormente. Ou poderá ter o efeito reverso, ficando irritado e agressivo.

Observe algumas situações rotineiras para tentar perceber a agressividade canina. Por exemplo, quando você for alimentar o animal, quando sair para passear ou mesmo quando estiver brincando. O cão não terá muita paciência quando estiver sentindo-se ansioso.

3- Vontade extrema de cavar ou morder

É claro que instintivamente, os cães vão gostar de cavar e de morder. Mas, um cão doméstico nem sempre terá estes comportamentos, desde que seja treinado e não esteja passando por momentos de ansiedade. No caso da síndrome da ansiedade da separação, é muito comum você notar estas atitudes muito presentes.

Por mais que o cachorro viva dentro de casa, ele buscará cavar. Seja no sofá, na cama ou em travesseiros. Além de que ele não recusará boas mordidas em uma porta ou móvel. Pode parecer “divertido” para o animal. Mas, na verdade, ele precisa de ajuda pois está passando por um momento difícil.

4- Latidos incessantes

Outro ponto muito relacionado a síndrome da ansiedade da separação, são os latidos. Quando em excesso, seja na rua ou em casa, significa que tem algo errado. E será muito comum, por exemplo, o cão latir no momento exato que ficar sozinho. Basta você fechar a porta para sair e poderá ouvi-lo.

Quando um cachorro late sem parar ele está, na verdade, querendo dizer alguma coisa para seu tutor. Pode ser uma dor, um instinto de defesa ou uma disfunção mental (ansiedade). Esteja sempre atento!

5- Começam a fazer as necessidades em qualquer ambiente

Um cachorro que faz o xixi fora do lugar ou em lugares aleatórios pode significar que ele é, na verdade, um cachorro ansioso. Neste caso, ele poderá estar sentindo a sua falta e tudo que ele quer é esperar a sua volta. Ou seja, ele não liga muito para o que está fazendo naquele momento.

Quando isto ocorrer, não brigue. Afinal, isto poderá piorar a situação. Apenas limpe e não deixe o cão ainda mais envergonhado pelo que ele fez. Com o tempo, você poderá consertar a situação, com treinamentos e recondicionamentos.

6- Alimentação desequilibrada

E, por último, um sintoma extremamente clássico da síndrome da ansiedade da separação, é a alimentação desequilibrada. E isto pode pender para ambos os lados, conforme já mencionamos neste texto. Ou seja, ele pode comer demais ou de menos. E isto não é bom.

Portanto, observe como anda a alimentação do seu pet. Busque entender como ele está se alimentando, de quanto em quanto tempo e também verifique as quantidades.

Como tratar ou melhorar os sintomas da ansiedade no seu cão?

Agora que já entendemos como um cachorro ansioso se comporta, quais os sintomas e os principais motivadores (inclusive a síndrome da ansiedade da separação), vamos entender o que podemos fazer para ajudá-los a ter uma vida mais tranquila, plena e feliz.

Lembre-se sempre que você é responsável pelo seu pet. Ou seja, você precisará desenvolver atividades com ele para que ele sinta-se feliz. Conforme mencionamos, um treinamento ou adestramento pode ajudar a deixá-lo mais independente. Mas não conte somente com isso. Afinal, o cão é uma vida e precisa de condições para que possa viver confortável.

Veja algumas dicas que você pode colocar em prática para garantir este conforto físico e mental.

Dedique seu tempo para passeios e brincadeiras diversas vezes no dia

Brincadeiras, jogos para cães e passeios são fundamentos básicos para que qualquer cachorro viva bem. Por isso, sempre considere estes aspectos quando estiver adotando um novo membro para a família.

Você precisa dedicar tempo a ele. Por mais que este tempo possa ser “terceirizado”, com um passeador profissional de cães ou algo do tipo, ele sempre vai gostar mais de você. Por isso, mostre que você está presente e se importa com ele. Acredite: nada fará ele mais feliz do que saber que ele não é um incômodo para o tutor.

Você precisa mostrar para o cão quem está na liderança

Seja líder do seu cão! Isto é muito importante para que ele saiba o que pode e o que não pode fazer. Mas este é um processo que pode levar tempo, pois você precisará mostrar para o animal quem é quem na relação entre cão e tutor. Um cão quando sente a autoridade, pode se desenvolver muito melhor, pois ele ocupa-se menos em ficar estressado ou ansioso.

Para demonstrar liderança, você poderá construir um relacionamento baseado em confiança e condicionamento. Por exemplo, com atitudes simples como determinação de horários para comer, brincar ou passear. Isto parece simples, mas para o comportamento do cachorro é fundamental. Assim, o cachorro ansioso poderá se recuperar mais rápido.

Troque os brinquedos com frequência

Os melhores brinquedos para cachorro, são aqueles que o cachorro considera novos, interessantes e diferentes. Ou seja: o animal enjoa rápido da rotina dele. Por isso, sempre faça a troca dos objetos que ele brinca dentro de casa. Principalmente quando ele estiver sozinho.

Quanto mais novidade você puder proporcionar, mais tranquilo, feliz e confortável o cachorro será. Logo, menos chances de desenvolver ansiedade ou estresse ele terá.

 

 

Fonte: (Portal do Dog)

 






ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Cachorro ansioso – Sintomas, dicas e tratamento
21/12/2019 às 20:17:09

9 cuidados necessários na gestação e lactação dos cães
21/12/2019 às 20:11:49

Cuidados e manutenção de um cão de raça grande
21/12/2019 às 20:10:01

Conheça a ilha que é habitada somente por cães no Paquistão
10/12/2019 às 22:53:07


© Canil Garra 2020. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco