HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

   

VOCÊ SABIA?
Adoção de um animal abandonado é muito mais que recolher da rua 05/01/2016 às 12:39:08

Foto: BigstockFoto: Bigstock

Pela internet circulam dezenas de fotos de cães e gatos fofos e abandonados pelas cidades. A vontade de adotar um desses animais é algo que pode amolecer corações, mas é importante analisar bem a situação, e tomar algumas precauções, caso resolva levar um animal abandonado para casa. “Um dos primeiros passos é tentar achar o dono. Muitos bichos não têm placa de identificação, mas é possível fazer uma busca no bairro e conversar com o dono do animal”, indica Fernanda Dias, administradora da Clínica Casa Vet.

Você pode resgatar um animal na rua e depois procurar por um lar permanente ou então ficar com ele na sua casa. Em qualquer situação é preciso tomar algumas providências para o bem-estar de todos. Se então você resolver abrigar o pet, converse com a sua família e analise bem a situação dentro de casa. As recomendações da Sociedade Protetora dos Animais em Curitiba começam por simples questionamentos como, por exemplo, se você tem espaço adequado no seu lar, se terá tempo livre para dedicar ao bicho, se terá paciência para lidar com pequenos incômodos como o xixi, latidos, pelos, etc.

O primeiro passo prático, então, é levá-lo ao médico veterinário para fazer uma avaliação geral da saúde do animal, providenciar vacinas, vermífugos e a castração. Também é necessário identificar a raça, idade e o provável porte do animal quando estiver adulto. “A grande maioria das pessoas prefere adotar filhotes, mas há casos em que três anos depois da adoção a pessoa resolve devolver o animal, pois ele atinge um tamanho que não era o esperado”, aponta Fernanda. “Por isso buscamos orientar bem as pessoas sobre a dedicação necessária para ter um pet”.

Além de ponderar que um cão ou gato podem viver cerca de 15 anos, o que exige dedicação e paciência, é preciso pensar nas viagens em família, férias, mudanças e outros imprevistos, que devem incluir o animal. “Nesta época de férias, o número de animais abandonados aumenta muito. As pessoas vão viajar ou vão se mudar e não pensam em alternativas para o bicho. Muitos também acabam fugindo por medo dos fogos de artifício. É preciso sempre pensar no animal com amor. A posse responsável é nosso maior desafio”, completa Fernanda.

Check list

Veja quais são os principais cuidados para abrigar um animal da rua

Consulta

A visita ao veterinário é imprescindível para identificar a raça e o porte do animal, além de verificar as condições gerais de saúde, se precisa de algum tratamento especial e para aplicação de vacinas e vermífugos necessários.

Castração

O melhor momento é antes dos oito meses. Há muitos mitos envolvendo a esterilização dos animais. Informe-se, pois há inclusive clínicas que oferecem preços reduzidos a quem não tem condições de pagar o procedimento.

Abrigos

Se você tirou o bicho da rua, mas não vai ficar com o animal, entre em contato com grupos voluntários, feiras e outros locais que promovem a adoção de animais. Não existem abrigos para todos os bichos abandonados, e muitos não recebem mais animais em suas dependências, então pesquise antes de levar e pense na melhor solução para o pet.

Sites

Alguns grupos no Facebook e sites fazem a mediação entre quem quer levar um animal para a adoção e quem quer adotar. Alguns são: www.spacuritiba.org.br,www.adotebicho.com.brwww.quatropatas.com.br,
www.casavetclinica.com.brwww.caopanheiro.com.br.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: (Gazeta do Povo)

 






ÚLTIMAS NOTÍCIAS
A piometra em cadelas
13/12/2018 às 23:02:07

Como fazer o cachorro engordar
13/12/2018 às 22:57:32

Piometra em cães: sintomas e tratamento
13/12/2018 às 22:54:03

Cachorro sempre com fome
13/12/2018 às 22:51:08


© Canil Garra 2018. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco