HOME     COLUNISTAS     QUEM SOMOS     RAÇAS     FOTOS     NOTÍCIAS     CONTATO

   

Notícias
Na Itália, mulher ganha licença remunerada do trabalho para cuidar de seu cachorro 14/10/2017 às 21:39:38

Que bom seria se todos os tutores de animais de estimação conseguissem liberação do trabalho quando acontecesse uma emergência com seus pets. Quem tem um bichinho em casa sabe bem como pode ser complicado quando eles estão doentes, principalmente quando o caso é mais grave.

Na Itália, país que tem um apreço e um respeito muito grande pelos animais de estimação, uma mulher conseguiu uma licença remunerada do seu trabalho de dois dias para cuidar de seu cachorro doente. O animal, um Setter Inglês de 12 anos, precisou passar por uma cirurgia e necessitou de cuidados especiais.

O animal, que tem 12 anos de idade, precisou passar por uma cirurgia e receber cuidados especiais. (Foto: Reprodução / Facebook LAV)

A folga remunerada foi conseguida através da Justiça e a mulher, que mora sozinha e precisou faltar ao trabalho para levar seu animal para o veterinário e cuidar dele, contou com o apoio jurídico da LAV (Liga Anti-Vivissecção), uma das maiores associações de proteção dos animais da Europa.

Foi alegado que a mulher, que trabalha em uma universidade de Roma, precisou faltar ao trabalho por “motivo pessoal grave ou familiar”.

Para a ação, a mulher teve como argumento uma lei italiana que estabelece uma multa de 10.000 euros, cerca de 37.000 mil reais, e uma pena de até um ano de prisão para quem abandonar o seu animal de estimação ou deixá-lo “em condições de sofrimento”.

Mulher entrou com ação na justiça para conseguir remuneração pelos dias em que precisou faltar ao trabalho e ganhou. (Foto: Reprodução / The New York Times / European Pressphoto Agency)

Para o presidente da Liga Anti-Vivissecção (LAV), Gianluca Felicetti, essa vitória na justiça tem uma enorme importância e pode ajudar tutores na mesma situação, além de ver que um animal de estimação foi visto como “membro da família” pela justiça.

“Trata-se de um avanço significativo para reconhecer que animais que não são criados por motivos de ganho financeiro ou de trabalho são membros efetivos da família”, disse Gianluca Felicetti.

 

 

 

 

Fonte: (Portal do Dog)






ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Existe o cão-lobo?
06/12/2017 às 17:17:06

Quais doenças podemos transmitir para os cães
05/12/2017 às 21:24:22

Saluki, o cão real do Egito
29/11/2017 às 22:22:21

O que é um cão potencialmente perigoso?
29/11/2017 às 22:10:18


© Canil Garra 2017. Todos os direitos reservados. Webmail

E-mail: contato@canilgarra.com.br

Fale Conosco